Aeroporto de Salvador é o pior do país, diz pesquisa

O aeroporto de Salvador deve passar por medidas emergenciais já nos próximos dias visando a melhoria dos serviços prestados para baianos e visitantes. A expectativa é que até o início da próxima semana a Infraero realize pequenas intervenções enquanto não são iniciadas as obras definitivas e a nova gestão previstas com a concessão do equipamento.

A informação foi obtida nesta terça-feira, 24, pelo secretário de Turismo da Bahia, José Alves, que esteve no início da tarde com o superintendente regional da Infraero no estado, Denisson Fontes, logo depois da divulgação de pesquisa nacional realizada entre usuários que classificaram o aeroporto de Salvador como o pior do país.

De acordo com a pesquisa de satisfação dos passageiros,  feita  pelo Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil, o Aeroporto Internacional Luís Eduardo Magalhães obteve, no último trimestre do ano passado, o desempenho mais baixo, com nota 3,77, numa escala de 1 a 5.

A média da avaliação dos aeroportos brasileiros foi de  4,28. Todos os demais equipamentos avaliados pelos passageiros dentre os 15 maiores do país obtiveram pontuação superior a 4 com destaque para o aeroporto de Curitiba, com nota 4,72, o mais bem avaliado.

No encontro com o superintendente regional da Infraero, Alves lamentou que o equipamento de Salvador tenha sido novamente tão mal avaliado –  na pesquisa anterior, já havia ficado como o segundo pior, atrás apenas de Cuiabá – por conta de questões básicas, como limpeza geral e de sanitários, qualidade do estacionamento e disponibilidade de tomadas e rede wi-fi.

“Apresentamos dados que expressam a importância do turismo para a economia e reivindicamos do superintendente agilidade para melhor atender à expectativa de baianos e visitantes”, disse José Alves.

Leilão em março

Já o secretário estadual de Infraestrutura, Marcus Cavalcanti, espera que “agora, com a pesquisa, seja agilizado o processo de concessão do aeroporto para a iniciativa privada”. O leilão já foi agendado para março, com edital prevendo investimento mínimo de R$ 2,35 bilhões, por parte da empresa ou consórcio que vença o certame.

No início do mês, o prefeito ACM Neto também demonstrou indignação com a situação do aeroporto da capital baiana, que oficialmente está em reforma, desde 2013, em obras que deveriam ter sido concluídas para a Copa do Mundo, há dois anos. Diante do quadro, Neto também pretende reforçar, em Brasília, o coro por medidas emergenciais, diretamente com o ministro dos Transportes, Maurício Lessa, segundo anunciou na semana passada.

Pesquisa

Ao considerar a média geral dos itens avaliados pelos passageiros, a pior avaliação dos serviços no aeroporto de Salvador foi para a qualidade da internet/wifi (1,87). Seguem também mal avaliados: qualidade da sinalização (3,99),  limpeza geral e sensação de segurança das instalações (3,88), disponibilidade de sanitários (3,84), conforto acústico (3,76), conforto térmico (3,43), limpeza dos sanitários (3,24) e disponibilidade de tomadas (2.86).

No quesito facilidades ao passageiro, o aeroporto baiano decepciona, segundo a pesquisa, em: custo/benefício dos produtos de lanchonetes e restaurantes (2,68), dos produtos comerciais (2,31) e estacionamento (2,19). No que se refere aos serviços prestados pelas companhias aéreas, o que mais desagrada no aeroporto de Salvador é o tempo de fila no check-in/  guichê (3,78) e a velocidade de restituição de bagagem (3,67).

Já dentre os serviços prestados pelos órgãos públicos dentro do aeroporto, o tempo de fila na imigração é o que mais desagrada (3,61). Há queixas ainda da disponibilidade de transporte para o aeroporto (3,65).

Fonte: A Tarde

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje