Advogado de Bolsonaro vira réu pela segunda vez em caso de suposta agressão

Admar Gonzaga, advogado do presidente Jair Bolsonaro e ex-ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), tornou-se réu por perturbação da tranquilidade da ex-mulher Élida Souza. A informação é da coluna de Guilherme Amado, da revista Época.

Segundo a publicação, desde o ano passado, ele também é réu por supostamente bater na ex-mulher.

A denúncia, oferecida em outubro pelo Ministério Público do Distrito Federal, foi aceita no mês passado pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal.

Gonzaga é acusado de perseguir a ex-mulher durante duas semanas de julho de 2017, após suposta agressão na então companheira.

O advogado também é suspeito de ter contratado um detetive particular, Ailton Ferreira, por meio de um advogado amigo seu.

Um rastreador eletrônico foi encontrado no assoalho do carro de Élida Souza, que alega ter sido seguida em locais públicos de Brasília.

“O recebimento de uma denúncia significa apenas que o juiz pretende apurar o quanto lançado na denúncia. Com isso a juíza irá apurar que eu nem no Brasil estava”, disse Admar Gonzaga.

Procurada, Élida Souza disse, por meio de suas advogadas, que só se manifestará no processo.

 

Fonte: bahia.ba

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje