46% dos brasileiros investem mais em segurança

Por mais seguro que morar em um condomínio pareça ser, sempre ouvimos uma história ou duas de alguém que foi assaltado em frente ao próprio prédio. Segundo pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI), feita pelo Ibope, 46% da população brasileira começou a investir mais em segurança desde 2016. Com a insegurança crescente, cada vez mais os condomínios têm buscado na tecnologia um meio de deixar os moradores seguros, dentro e nas imediações do prédio.

Presente no mercado há mais de dez anos, o Grupo Alerta – empresa soteropolitana que tem base e estrutura na cidade – é especializado em segurança e monitoramento a distância e, em 2017, abriu um segmento novo dentro de suas atividades: a portaria remota. Tratada por muitos como ‘portaria do futuro’, ela possibilita, principalmente, o gerenciamento a distância do fluxo de entrada e saída de pessoas no condomínio.

Diego Correa, advogado e diretor do Grupo Alerta, conta que esse sistema vem se tornando cada vez mais presente nos condomínios. “Além de registrar diversas informações de entradas e saídas, em imagem e áudio, ele também atende a demandas específicas, como recebimento de encomendas, mantendo contato direto com o zelador dentro do condomínio, por exemplo”.

Esses sistemas resguardam as informações gravadas no sistema, caso seja necessário que alguma imagem seja revista. E em caso de alguma emergência, explica Diego, os porteiros remotos acionam a equipe de pronta resposta que se desloca imediatamente até o local, além de acionar as forças públicas de segurança, caso necessário.

Porém é preciso atenção no momento de escolher a empresa para contratar esses serviços, alerta Neyde Maria Rodrigues de Almeida. Síndica de um prédio que usa portaria remota, biometria e um sistema para auxiliar na gestão, ela avisa que é preciso conhecer a empresa e sua reputação, além do sistema que ela está oferecendo. “Até porque estamos tratando com vidas humanas e o item segurança vem sendo priorizado sempre em nosso dia a dia”.

Neyde conta que, ao contratar o sistema de portaria remota do grupo Alerta, antes assistiu tanto a uma apresentação do sistema quanto a um acompanhamento visual de como ele é operado. Dessa forma pôde ter uma noção mais clara do nível de compromisso e de responsabilidade da empresa e de sua equipe.

Nos condomínios que administra, a síndica profissional Nina Noronha usa desde aplicativos até sistemas de monitoramento em tempo real. Ela conta que o uso dessas tecnologias elencadas aos condomínios facilita a rotina e otimiza o tempo. “A área de segurança é a que mais investe em inovações, e trazê-las para o nosso cotidiano faz toda a diferença, nos proporcionando inúmeros benefícios”.

Custo-benefício

Ter vigilância e alarmes 24 horas, acompanhamento das pessoas que entram no condomínio, monitoramento de câmeras pelo celular em tempo real e agilidade em situações de emergência são algumas das vantagens do uso desses sistemas. Ter segurança nunca é demais, e por mais que muitos dos serviços possuam valores altos, o custo-benefício costuma ser positivo.

Diminuição nos gastos com equipamento e mão de obra são os principais fatores que tornam esses sistemas baratos a longo prazo. A portaria remota, por exemplo, conta Neyde, tornou-se viável do ponto de vista financeiro. “É uma ótima opção para aqueles condomínios que procuram ter a segurança aliada a uma boa redução de despesas”.

Nina avisa que o ideal é solicitar a visita de um especialista para que seja feito um diagnóstico das necessidades do condomínio. “Só após o resultado faço um orçamento dentro da realidade financeira do condomínio junto a administradora e conselheiros, e assim damos prosseguimento na contratação. Caso seja um valor muito elevado, chamo uma assembleia extraordinária para expor a necessidade”.

Diego conta que tem percebido algumas evoluções significativas nos prédios em que seus serviços são implantados. “A redução da cota condominial é um dos fatores que chamam a atenção, facilitando também uma possível negociação ou locação do apartamento, por exemplo. Costumamos conseguir fazer com que os condomínios que mantêm o serviço de portaria 24 horas reduzam o seu custo em aproximadamente 50%, e em alguns casos trazendo uma economia ainda maior”.

 

Fonte: A Tarde

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje