Secretaria da Educação do Estado lança cartilha sobre Doença Falciforme


Para marcar o Dia Mundial da Saúde, nesta quinta-feira (7), a Secretaria da Educação do Estado lançou a cartilha “Doença Falciforme – O papel da escola”, desenvolvida em parceria com a Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB). O lançamento foi uma das atividades que marcaram o Seminário “Saúde nas Escolas – Promovendo a Educação para a Saúde”, no auditório do Instituto Anísio Teixeira.  O evento também foi marcado pelo lançamento do VI concurso “Vídeos Educativos Saúde na Escola” e pela entrega simbólica do KIT “Saúde Ocular na Escola”, que auxilia no teste de acuidade visual.

A cartilha sobre doença falciforme está disponível para download no Portal da Educação

(www.educacao.ba.gov.br<http://www.educacao.ba.gov.br>) e será um instrumento didático-pedagógico a ser trabalhado em sala de aula. O material apresenta detalhes sobre a doença como causas, sintomas e formas de tratamento. “Ações que difundem a saúde do estudante são sempre bem-vindas e estas devem continuar sendo ações de transversalidade. Além disso, iniciativas assim contribuem, fundamentalmente, para a formação cidadã dos nossos estudantes, na medida em que eles saibam lidar com as limitações impostas pela doença, acolhendo e auxiliando seus colegas”, destaca o subsecretário da Educação do Estado, Nildon Pitombo.

O professor da UFRB, Fábio Couto, acredita que o material irá contribuir para reduzir o preconceito. “A anemia falciforme é uma doença genética de maior prevalência no país e não é contagiosa, apesar de alguns sintomas, como olhos amarelados. O preconceito motivado pela falta de conhecimento é, hoje, o principal adversário dos alunos que convivem com a doença. Muitas vezes, o estudante não consegue se manter no colégio por conta dos eventos químicos que ocorrem no curso da doença e o professor tem um papel fundamental para reverter este processo”, aponta.

Concurso de vídeos – Por meio da IV edição do concurso “Vídeos Educativos Saúde na Escola”, a perspectiva é fazer com que os estudantes despertaram a criatividade e a percepção crítica a respeito de temas importantes e de responsabilidade social, como por exemplo, a prevenção do álcool e o combate ao Aedes aegypti, mosquito transmissor da Dengue, do Zika Vírus, da Chikungunya e da Febre Amarela. A inscrição deve ser feita na escola, de 7 de abril a 23 de setembro. Cada vídeo inscrito pode ter dois estudantes orientados por um professor. Os estudantes e professores-orientadores selecionados na etapa estadual receberão, cada um, um notebook.

Acuidade visual – No seminário, a Secretaria também fez a entrega simbólica dos kits “Saúde Ocular na Escola”, composto por um banner da Escala Optométrica (Teste de Snellen) e o manual orientador para realização do teste de acuidade visual. “Isto vai identificar possíveis problemas oftalmológicos que interferem no processo de ensino e aprendizagem dos nossos estudantes”, comenta Fábio Barbosa, coordenador de Educação e Saúde da Secretaria da Educação do Estado.

O estudante João Victor dos Santos, 18 anos, 1º ano do Colégio Estadual Villa Lobos, no bairro do Cabula VI, participou do evento que, para ele, foi um momento valioso de aprendizagem. “É fundamental que a gente esteja atento à nossa saúde para que sejamos sempre sadios”, afirma. A professora Célia Santos Costa, do Colégio Estadual George Fragoso Modesto, no bairro de Mata Escura, também saiu motivada. “Levar o conhecimento para a sala de aula é um trabalho dos mais importantes. Aqui, estamos nos subsidiando de informações para que possamos realizar ações de promoção da saúde e prevenção”.

Fonte: Ascom SEC

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje