Policiais “infiltrados” agem nos circuitos da folia

policiamento-no-carnaval

O advento dos 48 portais de abordagem policial nos acessos aos circuitos do Carnaval foi apontado pelas autoridades de segurança como um dos principais fatores de inibição da violência na quinta-feira de folia.

Mas, para quem ainda pensa em desafiar o esquema de segurança montado para garantir a paz na festa, existe a equipe dos “infiltrados”.

Segundo informação passada, na manhã desta sexta-feira, 5, pelo titular da Secretaria da Segurança Pública (SSP), Maurício Teles Barbosa, esse grupo é formado por 80 policiais civis que circulam à paisana entre os foliões.

“Além de circular, os infiltrados recebem informações a partir das câmeras de segurança e vão ao ponto certo abordar suspeitos e apreender drogas”, explicou o secretário.

Barbosa ressaltou que são dois mil policiais a mais este ano, o que refletiu também no aumento da produtividade. Segundo o primeiro balanço da operação de segurança pública, 362 pessoas foram conduzidas aos postos ou unidades policiais, um crescimento de 174,2% em relação ao ano passado, quando 132 pessoas foram conduzidas pelos policiais.

Não houve ocorrências graves entre às 19h de quinta e as 7h da manhã desta sexta nos três principais circuitos, a exemplo de homicídio, tentativa ou lesão corporal grave. Lesões leves reduziram 14,3%, de 14 na quinta de 2015, para 12 este ano.

O comandante da PM, coronel Anselmo Brandão, informou que não houve apreensão de arma de fogo nos portais de abordagem, apenas sete armas brancas. “O objetivo dos portais é inibir que as pessoas venham para a rua armadas”, explicou o comandante.

Folia e Paz

Ao lado da inspeção nas entradas dos circuitos, a Polícia Militar, por meio da Operação Folia e Paz, também faz revistas de pessoas em ônibus que dão acesso aos locais onde há Carnaval.

“A repressão aos crimes nas áreas da folia não tem início nos circuitos, começa muito antes: nos terminais rodoviários, nas blitzes e nos transportes coletivos”, afirmou o comandante do Comando de Operações Policiais Militares, coronel Paulo Uzeda.

A Secretaria da Segurança Pública, por meio da assessoria de imprensa, também divulgou, que “em uma varredura realizada na quarta, 3, dez facas foram apreendidas  com vendedores ambulantes já acampados na região dos três principais circuitos da festa – Dodô (Barra-Ondina), Osmar (Centro) e Batatinha (Centro Histórico)”.

Ainda de acordo com o material divulgado, a apreensão das armas brancas foi  realizada antes do início do funcionamento dos portais com detetores de metal.

As operações nas áreas dos desfiles, no entorno dos circuitos e nos bairros estão programadas para prosseguir durante todos os dias da festa, inclusive com a ação dos infiltrados.

Fonte: A Tarde

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje