'Não há crescimento sustentável sem controle de inflação', diz secretário da Fazenda

O secretário executivo do Ministério da Fazenda, Nelson Barbosa, afirmou ontem (27) que o controle da alta dos preços é prioridade do governo federal.

“Não há crescimento sustentável sem controle de inflação”, disse Barbosa. Segundo ele, os indicadores econômicos de janeiro “consistentemente indicam uma recuperação da economia brasileira”.

Barbosa destacou que o aumento recente da inflação foi impulsionado, principalmente, pela alta nos preços dos alimentos.

Ao lado da presidente Dilma Rousseff, durante a primeira reunião do ano do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, Barbosa fez um balanço para representantes de diferentes setores da sociedade que compõem o grupo do pacote de infraestrutura lançado pelo governo no ano passado e que ainda está sendo implementado.

OTIMISMO

“Ainda obviamente é cedo para antecipar o ano todo. Fato é que a economia brasileira mostra sinais de recuperação”, afirmou Barbosa, lembrando que já há registro de aumento nas vendas de produtos como veículos, cimento e papel.

A mensagem de otimismo do Ministério da Fazenda vem dias antes da divulgação oficial do PIB de 2012, estimado em 1% pelo mercado. Medidas como redução de imposto ainda não surtiram o efeito esperado pelo governo federal para acelerar o aumento do produto interno bruto.

Pesquisa do Banco Central divulgada esta semana indica que o mercado está menos otimista do que a Fazenda sobre a previsão de crescimento de 4% da economia em 2013.

Apesar da desconfiança do mercado em relação ao crescimento em 2013, analistas de bancos ouvidos pelo BC reduziram as expectativas de alta de inflação este ano. A previsão do mercado financeiro recuou de 5,70% para 5,69% na semana passada, segundo o BC. Foi a segunda semana seguida de recuo da estimativa de inflação para este ano.

PRODUTIVIDADE

Para garantir o crescimento do país, Barbosa disse aos representantes de diferentes setores que o governo aposta no aumento da produtividade associada a aumento de investimentos. “Nosso desafio é associar investimento e competitividade”.

Ele destacou a expansão do emprego acompanhado do aumento da massa salarial registrada nos últimos anos e a necessidade de manter essa relação. Ao apresentar os pacotes de concessões de rodovias, ferrovias, aeroportos e portos, Barbosa disse que o Brasil vai oferecer oportunidades de investimentos de R$ 500 bilhões nos próximos anos.

“Vamos atuar para fortalecer instituições privadas e melhorar situação de recursos públicos”, disse Barbosa, lembrando que o governo vai criar nos próximos meses a Agência Brasileira de Fundos e Garantias, já aprovada pelo Congresso e que pretende reestruturar a atuação do setor e padronizar a ação dos fundos garantidores nos investimento.

Fonte: Folha de São Paulo

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje