Marina vai explorar desconfianças em relação a PT e PSDB

Na propaganda eleitoral, Marina Silva, que será candidata do PSB ao Planalto, deverá explorar desconfiança na economia em relação ao PT e na área social no que se refere ao PSDB. Deverá se mostrar mais confiável para realizar mudanças econômicas cobradas do petismo. E também deverá vender que, por ter sido filiada ao PT, teria mais credibilidade para manter políticas sociais.

No primeiro dia de propaganda política, o PT adotou uma linha mais defensiva. Humanizou a presidente Dilma Rousseff, mostrando-a mais simpática do que normalmente ela costuma ser nas aparições públicas. Lula prometeu um segundo mandato melhor, o que é uma forma, indireta, de reconhecer que há erros no atual mandato e correções que precisariam ser feitas num segundo governo. Ou seja, há uma autocrítica. De leve, mas há.

O PSDB foi mais agressivo, insistindo na polarização com o PT, o que é correto para a estratégia de Aécio Neves. O tucano atacou o governo e concentrou as críticas na presidente. Aécio quer ser o antiDilma. Pretende evitar que Marina Silva, que vai ser oficializada hoje, possa ser a antiDilma. A polarização confortável que havia entre petistas e tucanos tende a ser rompida. E isso deverá exigir respostas de Dilma e Aécio.

A entrevista do Pastor Everaldo (PSC) ao “Jornal Nacional” deixou claro que ele representa uma aventura. Nas redes sociais, é saudado como um representante da direita, o que é falso. Na entrevista, foram expostas as contradições dele. O Pastor Everaldo tem ideias simplistas de candidatos nanicos que já vimos em outras eleições.

Fonte: Blog do Kennedy – iG

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje