Juízas unidas para o combate ao feminicídio

As reuniões de juízes titulares das varas de violência doméstica e familiar da capital e do interior são uma das possibilidades de combate ao problema do aumento dos casos de feminicídio.

A Coordenadoria da Mulher do Tribunal de Justiça do Estado da Bahia propõe debater ações de enfrentamento à violência de gênero na Bahia, com a participação de todas as juízas.

A desembargadora Nágila Brito, responsável pela coordenação, considera os encontros como fundamentais para garantir uma efetiva prestação jurisdicional a fim de direcionar as atividades.

– Assim, temos uma proteção mais rápida e efetiva, para atualizar os instrumentos que visam diminuir os casos de violência doméstica, inclusive o feminicídio. As reuniões são preparatórias para atuações mais eficazes, afirma a coordenadora.

Entre as ações de enfrentamento à violência contra a mulher, a desembargadora reforça a importância da medida protetiva. Os responsáveis pelas varas de violência podem solicitar também a utilização da tornozeleira eletrônica para possíveis agressores.

Botão do pânico – Também poderá ser utilizado a nova tecnologia chamada “botão do pânico” pelas vítimas em casos mais graves, a fim de garantir uma maior segurança às mulheres que sofrem ou estão sob ameaça de violência doméstica.

Titular da 2ª Vara de Violência Doméstica da cidade de Salvador, a juíza Ana Cláudia de Jesus Souza reforça a importância do encontro com a coordenadora para trocar experiências e propor novas ações.

 

Fonte: Coluna Levi Vasconcelos/A Tarde

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje