Governo vai descontar dias parados de servidores da saúde

Assembleia reuniu profissionais da capital e do interior - Foto: Carlos Américo Barros | SindSaúdeO Governo do Estado da Bahia vai descontar os dias não trabalhados dos servidores da saúde que aderiram ao movimento grevista iniciado no dia 17. A medida entra em vigor na folha salarial deste mês, tendo o dia 19 de julho como início dos descontos.

Já os servidores aprovaram, por unanimidade, a continuidade da greve da categoria, em assembleia realizada na manhã desta sexta. A reunião aconteceu na Fundação Visconde de Cairu, nos Barris. Antes da assembleia os servidores realizaram um ato no Hospital Geral do Estado (HGE).

Os funcionários públicos mantêm a cobrança de que o governo retome o pagamento de insalubridade de cerca de 1.500 servidores que tiveram o benefício cortado em junho. Pedem também a valorização do Serviço Único de Saúde (SUS), que segundo o sindicato está em sendo desmontado, implantação regulamentação do Plano de Carreira, Cargos e Vencimentos (PCCV), além de um novo concurso.

Durante a assembleia o presidente do Sindsaúde-BA, Silvio Roberto dos Anjos e Silva, parabenizou a união dos servidores “O movimento vem me deixando cada dia mais fortalecido para dizer ao governador e seu secretariado que estamos respaldados pelos trabalhadores da Saúde  do estado e que não vamos arredar o pé enquanto nossas reivindicações não forem atendidas”, disse.

Ilegalidade

O Tribunal de Justiça da Bahia considerou ilegal o movimento de greve do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde da Bahia (Sindsaúde). O descumprimento da decisão pode acarretar em multa diária de R$ 50 mil.

O Tribunal entendeu que não era válido o principal argumento do sindicato para a deflagração da greve: o corte do adicional de insalubridade. Cerca de 1,5 mil servidores da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) recebiam em desconformidade com os critérios estabelecidos na legislação. Essa ação foi tomada com o objetivo de atender orientações dos órgãos de controle, tais como O Tribunal de Contas do Estado (TCE) e Auditoria Geral do Estado (AGE).

Fonte: A Tarde

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje