Desembolsos do BNDES somam R$ 162,2 bilhões até novembro

Os desembolsos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) somaram, até novembro passado, R$ 162,26 bilhões, conforme anunciou hoje (23), no Rio de Janeiro, o presidente da instituição, Luciano Coutinho. Segundo ele, o desempenho é “razoavelmente estável em termos nominais em relação ao ano passado”. No mês de novembro, foram liberados R$ 15,70 bilhões.

Coutinho disse que a expectativa é que os desembolsos de dezembro sigam em linha com o ano passado, “de forma que, em termo nominais, estamos muito próximo de 2013”. Para Coutinho, os números se aproximam dos R$ 190,4 bilhões registrados ano passado. A expectativa é de desembolso de quase R$ 28 bilhões. “Dezembro tem peso muito relevante. Os números até  novembro podem ser modificados pela incidência importante de dezembro”, comentou.

O presidente do BNDES ressaltou o aumento considerável  de recursos para infraestrutura em 2014, que apresentaram incremento de 10% até novembro, alcançando R$ 58,11 bilhões. Também as aprovações de empréstimos para  projetos de infraestrutura evoluíram 21% em 11 meses, atingindo R$ 66,4 bilhões.

Para os setores de indústria e agropecuária, os desembolsos alcançaram R$ 44,6 bilhões e R$ 14,9 bilhões, respectivamente, representando queda de 10%, em cada. Para projetos no setor de comércio e serviços, foram liberados R$ 44,7 bilhões até novembro, com alta de 2% sobre igual período anterior.

Coutinho também destacou a expansão de 15% registrada pelo Cartão BNDES entre janeiro e novembro deste ano, atingindo aproximadamente R$ 10,4 bilhões, envolvendo 718 mil operações e 203 empresas. O cartão é usado por micro, pequenas e médias empresas para compra de bens e serviços pela internet, por meio do portal do BNDES. Atualmente, ele opera com seis bancos emissores e alcança quase todo o país. “Mostra que  a principal ferramenta de apoio às micro, pequenas e médias empresas continua funcionando dinamicamente, representando um volume importante de operações. Temos hoje 675 mil cartões emitidos”.

Coutinho reconheceu que, com a adoção das novas políticas operacionais, os desembolsos da instituição em 2015 poderão ser reduzidos, em comparação ao previsto para 2014 e ao registrado em 2013.  As novas políticas reduzem o uso de recursos do Tesouro Nacional nos financiamentos a projetos de investimentos e diminuem a participação do banco nos empréstimos, de modo a estimular a participação de moeda de mercado nas operações.

Observou, porém, que, com base em projeções da área econômica do banco, os  investimentos na economia brasileira deverão superar R$ 4,1 trilhões entre 2015 e 2018, com aumento de 17,1% sobre o período de 2010 a 2013. Na avaliação do presidente do BNDES, as empresas brasileiras estão mantendo seus planos de investimento para o futuro.

“As empresas sabem da necessidade de ajuste em 2015, mas não  descartaram seus planos de investimento. Há confiança. No médio prazo, é fundamental para a decisão de investimento. A compreensão da  necessidade de ajustar a economia para fortalecer o pilar fiscal da política macroeconômica  cria confiança na sustentabilidade macroeconômica. E essa  é uma pré-condição importante para a retomada do crescimento”, acrescentou.

Fonte: Agência Brasil

 

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje