Conselheiros do CMDCA vinculados ao governo municipal boicotam reuniões – Exclusiva

O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) é formado por doze pessoas, sendo seis da sociedade civil e igual número de representantes do governo municipal.

O calendário das reuniões ordinárias é distribuído no início do ano para que os conselheiros se organizem e participem efetivamente das discussões dos temas sob a responsabilidade do CMDCA.

Nas duas reuniões ordinárias realizadas em 11 de Junho e 9 de Julho, os seis representantes do governo municipal não apareceram e impediram que decisões fossem tomadas por falta de quórum.

As ausências são caracterizadas como boicote do governo ao CMDCA com objetivo de impedir a reprovação da mudança da sede do Conselho Tutelar do centro da cidade para a Cavada.

Os seis representantes da sociedade civil não aceitam a mudança e o confronto com os conselheiros vinculados ao governo seria inevitável.

Leidiany Moraes, presidente do CMDCA, pretende convocar para os próximos dias uma reunião extraordinária do conselho visando discutir a questão da mudança Conselho Tutelar.

Os conselheiros serão avisados por intermédio de ofícios individuais para que não pairem dúvidas quando ao dia, local e a hora da reunião extraordinária.

Casa

Fechada há sete anos, a casa  na qual a Secretaria Municipal de Assistência Social (SEMAS) pretende instalar o Conselho Tutelar está totalmente degradada e não oferece condições imediatas para o funcionamento da entidade, além de ser localizada na Cavada, bairro distante do centro da cidade.

Embora os dirigentes da SEMAS tenham garantido que a casa dispõe de condições para abrigar o Conselho Tutelar, uma fonte disse ao editor do Alagoinhas Hoje que o espaço físico está degradado pelo longo tempo de fechamento e vai precisar passar por uma ampla reforma.

Os conselheiros do CMDCA vinculados ao governo não querem enfrentar este debate e por isso fugiram das duas últimas reuniões.

Sem eles, nenhuma decisão foi tomada.

Enquanto isso, a administração municipal empurra o problema com a barriga e nada resolve, demonstrando o descaso com o CMDCA e o Conselho Tutelar.

E em última análise, o descaso com a sociedade alagoinhense que precisa da atuação efetiva das duas instituições.

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje