Bachelet pede que comunidade internacional se una contra a violência

A diretora executiva da ONU Mulheres, Michelle Bachelet, pediu nesta segunda-feira à comunidade internacional que se una contra a violência contra as mulheres, alegando que “é hora de agir”.

“A violência contra mulheres e meninas continua sendo generalizada”, afirmou Bachelet no início da 57ª sessão da Comissão das Nações Unidas sobre a Condição Social e Jurídica da Mulher, que tentará chegar a um acordo sobre medidas concretas para combater a violência contra as mulheres.

A ex-presidente do Chile afirmou que o encontro não é apenas mais uma reunião e que a situação mudou após as ondas de protestos geradas nos últimos meses pelo atentado contra Malala, a menina paquistanesa ferida por extremistas islâmicos por defender o direito à educação, e pelo estupro e assassinato de uma jovem estudante universitária na Índia.

A 57ª reunião da Comissão, que acaba no próximo dia 15, tentará fechar uma declaração conjunta que estabeleça que a violência contra a mulher é inaceitável e que cada país deve iniciar planos de ação para prevenção de violência e apoio às vítimas.

Bachelet destacou que esta reunião, da qual participarão cerca de 6.000 pessoas de organizações civis de todo o mundo, é a maior já realizada no mundo pelo fim da violência contra as mulheres e meninas.

A política chilena também insistiu que a aprovação de medidas legais não é suficiente, já que é preciso garantir sua aplicação na prática. “A impunidade é ainda a norma, ao invés da exceção”, alertou.

Segundo Bachelet, além de pôr fim à impunidade dos autores dos crimes é preciso estender os serviços de assistência e apoio às vítimas sobreviventes.

A presidente da reunião, Marjon Kamara (Libéria), afirmou no início dos debates que “a atual situação de violência contra a mulher é inaceitável e deve ter um fim”. Para isso, pediu “ações sistemáticas na prática que gerem uma mudança significativa em favor de mulheres e meninas” de todo o mundo.

Fonte: Folha de São Paulo

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje